domingo, 22 de março de 2015

Geração M

Observando as manifestações que vêm ocorrendo no Brasil nos últimos dois anos, o comportamento das pessoas nas redes sociais, o noticiário, a vida cotidiana e, principalmente, meus próprios pensamentos e sentimentos, cheguei à conclusão de que nem X, nem Y, na verdade, somos a  Geração M, de mimados.

A triste verdade é que não sabemos perder. Não aceitamos a derrota em hipótese alguma. Pior, não admitimos não estar certos. Fazemos parte de uma geração que quer ter razão o tempo todo, contra tudo e contra todos. E se alguém ousa afirmar que estamos errados, nos jogamos no chão e esperneamos até que alguém diga: “tudo bem, se acalme, não ligue para esse idiota que está discordando de você. Fique tranqüilo bebê, você está certo, como sempre”.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

A Escadaria

A escadaria era íngreme, mas ele nem se dava conta da dor em suas pernas, nem do suor que escorria pelo rosto. Nada mais importava. Sua busca acabaria no final daquela sucessão interminável de degraus.

Estava em um prédio antigo, no centro da cidade. O letreiro sobre a porta de entrada dizia apenas: “hotel”. Não era o Caesar ou o Ritz, não havia tapete vermelho, nem manobrista à porta. Era apenas um local sem nome, perdido no submundo. O lugar perfeito para quem não queria ser notado.

Degrau após degrau, cada passo o deixava mais próximo do seu objetivo. Sua mão deslizou sob a camisa e encontrou o cabo da faca. Quanta ironia. Aquele objeto havia sido um presente dela. Ele revivia em sua mente atormentada aqueles momentos que agora mais pareciam um sonho distante. Talvez nada daquilo tivesse realmente acontecido.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Questionando o Inquestionável


Quando uma pessoa se afasta da religião, invariavelmente passa a ser indagada sobre seus motivos para virar as costas a Deus e à salvação. É difícil para quem passou a vida toda vendo a religiosidade como algo natural e inerente à vida, entender porque alguém se afasta e passa a renegar tudo em que antes acreditava.

Ocorre que a religiosidade não resiste a um olhar cético e racional. Ter fé significa acreditar sem provas ou questionamentos, algo que vai frontalmente contra o pensamento científico e a lógica.

No video abaixo, Sam Harris, um escritor americano, fala sobre questões fundamentais, algumas das quais fizeram parte importante do meu caminho para o agnosticismo. Para quem se interessa em entender as razões porque alguém deixa de acreditar, vale a pena gastar 10 minutinhos e refletir sobre o que ele fala.

Dispa-se de preconceitos e convicções e deixe sua mente mergulhar nesta questão de maneira isenta. Muito provavelmente isto não fará de você um ateu, porque é preciso muito mais que isso, mas tenho certeza que sua visão sobre a "falta de Deus no coração" sofrerá um duro golpe.




segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O Prisioneiro


O prisioneiro abriu lentamente os olhos. Estava acorrentado a uma cadeira. Não podia se mover, porque a cadeira estava firmemente parafusada ao chão. Ele sabia que ela havia sido preparada especialmente para recebê-lo.

- Você conhece a lenda de Prometeu? – indagou o captor.

Nenhuma palavra saiu da boca do prisioneiro. Suor escorria de sua testa e se misturava ao sangue seco. Estava nu. Havia uma enorme ferida ensangüentada onde antes estivera sua orelha esquerda. Três dentes quebrados, duas costelas trincadas e dois dedos dos pés esmagados a marteladas. Ele resistiu muito mais do que se poderia esperar antes de desmaiar.


O captor estava sentado, de frente para o prisioneiro. Seu cabelo molhado de suor, suas roupas salpicadas de sangue, em suas mãos havia um alicate-de-ponta, com o qual ele brincava nervosamente enquanto falava.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Messias, O Ateu - Final

Messias permaneceu em silêncio por alguns instantes. Todos os olhares estavam sobre ele, esperando para saber qual seria a sua reação ao que dissera Aristeu.

- Então, meu amigo, você me diz que somos dotados de livre-arbítrio - disse Messias calmamente. - E você poderia me dizer o que significa isso de fato?

 - Ora - Aristeu estava exaltado - Significa que somos responsáveis pelo que fazemos. Nossas atitudes e pensamentos é que produzem maldade no mundo. Deus não tem nada a ver com isso. Aqueles que se aproximam Dele praticam o bem, mas os que se afastam são levados para o caminho do mal. Trata-se de uma escolha.

Todos olharam para Messias. Seus rostos ansiosos aguardando pela réplica. Parecia pouco provável que ele pudesse rebater um argumento tão sólido, de alguém com tanta experiência de vida e sabedoria.

Finalmente, ele falou sem se abalar:

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Messias, o Ateu - parte 2

Todos os olhos estavam sobre Messias. Ele era o centro absoluto das atenções naquela pequena sala de uma repartição pública. Muitos artistas, palestrantes e políticos certamente já desejaram ardemente obter aquele nível de concentração de sua platéia. Mas ele nunca quis isso. Messias nunca fez questão de explicar a ninguém os motivos que o levaram a ser quem era, a pensar como pensava, a sentir o que sentia.

Entretanto, não havia volta. Era preciso dar àquelas pessoas algo para saciar suas curiosidades. Ele respirou fundo e então começou a falar sem ser interrompido:

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Messias, o Ateu - parte 1

Todos os dias ele cumpria o mesmo ritual. Acordava às seis da manhã, escovava os dentes com calma, tomava um banho de cinco minutos e vestia a roupa limpa e passada que estava separada num cabide desde a noite anterior. Tomava o café da manhã numa padaria do centro, assistindo ao telejornal matinal. Dois pães com manteiga na chapa e um suco de laranja. Não gostava muito de café por causa da sensação de calor que deixava na boca. Preferia as bebidas frias e refrescantes.

A vida de Messias era simples e previsível. Era assim que ele se sentia bem. Não era nenhum sociopata excêntrico. Gostava de viajar e de sair com os amigos, eventualmente. Entretanto, procurava sempre manter controle sobre todos os aspectos da sua rotina. Uma vida sem sobressaltos era sinônimo de felicidade para aquele pacato funcionário público.

Até o dia em que Antonio, um primo simpático e falastrão, o visitou no trabalho para pedir um favor. Enquanto o contrariado Messias ia até a sala do Diretor para providenciar os papéis e se livrar logo daquela inconveniência, Antonio aproveitava para puxar conversa com os colegas de trabalho de seu primo.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Os Sistemas Políticos e as Vacas


Até pouco tempo atrás, antes da sufocante onipresença das redes sociais, o e-mail era a principal forma de comunicação na internet. Todos os dias, ao abrir nossa correspondência eletrônica, nos deparávamos com todo tipo de mensagens, desde assuntos pessoais e de trabalho, até videos de pegadinhas, pornografia, propaganda e as famigeradas correntes, que ofereciam bençãos ou maldições conforme a disposição que o destinatário tivesse para encaminhar aquela mensagem a todos os contatos da sua lista.

O que muita gente da geração web não sabe é que tudo isso já existia muito antes da internet chegar ao Brasil. Certa vez, quando eu tinha uns 9 anos de idade, vi um papel dobrado, enfiado na caixa de correio da minha casa. Como bom menino curioso que era, fui investigar e descobri, para meu desgosto, um texto que dizia algo sobre eu ter que escrever 20 cartas como aquela e repassar a 20 pessoas diferentes, pois caso eu quebrasse a corrente, algo terrível me aconteceria. Obviamente, cumpri a missão e, desse dia em diante, nunca mais verifiquei o conteúdo da caixa de correio.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Guerra Fria

A paisagem era linda: uma floresta de pinheiros na encosta de uma colina. O rumor do rio, que corria num leito de pedras no fundo do vale, era o único som que se podia ouvir enquanto o crepúsculo tingia o mundo de vermelho. Nada disso, entretanto, importava a Dmitri. Sua respiração estava ofegante, o suor e a expressão de dor em seu rosto denunciavam mais sua idade do que os cabelos brancos em suas têmporas. Mesmo assim, ele não parava de correr. Continuar significava a diferença entre a vida e a morte. Ele corria sem parar, sem olhar para trás, mas seu fôlego de homem velho não agüentaria por muito mais tempo. Era preciso encontrar um esconderijo antes que anoitecesse, ou ele não teria chance.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Sozinho


A claridade que invadia o quarto pelas frestas da veneziana atingiu os olhos de Adão e, naquele momento, ele soube que seu despertador havia mais uma vez falhado de forma inexplicável. Passava das oito horas e este seria seu segundo atraso na semana.

Por ser funcionário público, tinha alguma flexibilidade de horário, o mais difícil era suportar as cobranças de seu chefe, um velho rabugento que parecia odiá-lo pelo simples fato de existir. O Sr. Emanuel era um homem alto, corpulento, de pele muito clara e cabelos prateados. Seu rosto era vermelho e tinha sempre a mesma expressão de desprezo por tudo e por todos. Ele era um respeitado diretor no governo, um homem com experiência e carreira exemplares. No entanto, não nutria grande apreço e respeito por seus subordinados, a menos que estes andassem de salto alto, saias curtas e exalassem um perfume suave de jasmim. Era um mulherengo incorrigível e ninguém que o cercava podia acreditar que ainda não tivesse sofrido um processo por assédio sexual, já que ele analisava decotes melhor do que qualquer relatório.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Adão e Eva


Tenho um certo fascínio pela história bíblica de Adão e Eva. Quando ainda era um adolescente, que frequentava a missa e fazia curso de crisma, questionei o Padre a respeito das incoerências da história. A principal delas, a meu ver, era o fato de que Caim, filho mais velho deles, foi condenado ao exílio como punição pelo assassinato de seu irmão Abel. No entanto, Caim encontra uma terra chamada Node, onde se casa e constitui sua própria família.

segunda-feira, 18 de março de 2013

No Princípio



Eva estava de pé, ao lado da Árvore. As curvas bem desenhadas do seu corpo e a textura suave de sua pele contrastavam com a forma retorcida e a aspereza do tronco do vegetal. Adão percebeu, pela primeira vez, que ela era muito diferente dele próprio. Não era somente a voz delicada, os cabelos compridos ou o cheiro suave que exalava. Tudo nela parecia diferente, de uma maneira que ele nunca tinha notado antes. Sentiu um frio na boca do estômago e um formigamento que percorreu todo o corpo. Aquela era uma sensação nova e ele ficou confuso e desorientado.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Casa Nova


Acredito que todo ser humano tem a necessidade intrínseca de se expressar. Desde nossos mais remotos ancestrais, que pintavam as paredes das cavernas, o homem jamais deixou de exprimir seus pensamentos e sentimentos através da arte, da magia e da tecnologia.


Este blog é o espaço onde deixo minha alma conversar com o mundo. É a parede da minha caverna.


Entre e fique à vontade para ler, rir, gostar, odiar. Se eu conseguir provocar uma única reação, seja ela qual for, minha missão estará cumprida.



"A arte é, como a magia, a ciência de manipular símbolos, palavras ou imagens para operar mudanças de consciência."
Alan Moore 


"Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinta de magia."

Arthur C. Clark